20 janeiro 2019

Bico de Pulverização Micron Pulsar Série HB de Jato Tipo Cone Vazio (8001 Azul a 8006 Amarelo).


Ponta de Pulverização Micron Pulsar Série HB

Bico Série HB de Jato Tipo Cone Vazio nas Vazões de 8001 (Azul) a 8006 (Amarelo).


Manoel Ibrain Lobo Jr

Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


A ponta de pulverização de jato tipo cone vazio Micron Série HB, fabricada em cerâmica, é atualmente uma das mais utilizadas pelos produtores em todo o Brasil após a fase de fechamento das entre-linhas das culturas adensadas, em função da excelente capacidade de deposição, penetração e distribuição das gotas finas em turbulência nas folhas localizadas no terço inferior das plantas.


Produzindo gotas finas e muito finas, é normalmente recomendada para pulverizações de inseticidas e fungicidas, em condições meteorológicas favoráveis e muito utilizadas em aplicações noturnas (alta umidade no ar, baixas temperaturas e sem rajadas de vento). 

Nas extensivas áreas de soja, algodão e milho no cerrado, essas pontas de jato tipo cone vazio também são muito utilizadas para pulverizações de herbicidas, porém são sempre aplicações muito técnicas e assistidas, a maior parte utilizando baixos volumes de calda, menos que 50 litros por hectare, sempre respeitando as melhores horas do dia, com velocidades de vento entre 3-5 km/h, em condições meteorológicas extremamente favoráveis. 




No vídeo abaixo, a ponta HB 8002 (Preto) de jato tipo cone vazio aplicando na pressão de 40 PSI (2,8 Bar - 276 Kpa), produzindo gotas com classificação de tamanhos finas para muito finas.

Um pulverizador autopropelido com espaçamento entre bicos de 50 cm, equipado com as pontas Micron HB 8002 operando nas velocidades de 18 a 20 km/h, estará aplicando volumes entre 30 a 50 litros/hectare. Em baixas velocidades, entre 6 a 8 km/h, essa ponta HB 8002 estará aplicando médios e altos volumes (80 a 120 L/ha).




Recomendadas para pulverizações em condições meteorológicas favoráveis, as pontas Micron de jato tipo cone vazio da Série HB poderão ser utilizadas em baixos volumes e em baixas velocidades, nas vazões 01 (Azul) e 015 (Marrom), objetivando a equipagem de pulverizadores montados e de arrasto. 

Por exemplo, a ponta HB 8001 (Azul) em velocidades operacionais de 6 a 7 km/h poderá aplicar volumes entre 30 a 50 litros/hectare. A ponta HB 80015 (Marrom), nessas mesmas velocidades, poderá aplicar volumes entre 50 a 80 litros/hectare. 

Seguem informações fornecidas pela conceituada empresa Micron Pulsar, fabricante das pontas em cerâmica Série HB.

MICRON PULSAR SÉRIE HB CONE VAZIO

Características: Bico tipo cone vazio – abertura de 80 Graus; Pressão recomendada de trabalho: 2 a 10,5 BAR / 30 a 150 PSI; Tamanho compacto, menos quebras por acidente; Material: Cerâmico; Encaixe capa 12 mm.




No vídeo abaixo a abertura do jato de pulverização formado por gotas muito finas, produzidas pela ponta Série HB 8002, aplicando na pressão de 40 PSI.





Matéria atualizada em 20/01/2019.


Copyright © 2005-2019 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

19 janeiro 2019

Bico de Pulverização Micron Pulsar Série CA Cone Vazio com Indução de Ar (8001 Laranja a 8005 Marrom).


Ponta de Pulverização Micron Pulsar Série CA

Bico Série CA de Jato Tipo Cone Vazio com Indução de Ar (Sistema Venturi) nas Vazões de 8001 (Laranja) a 8005 (Marrom).


Manoel Ibrain Lobo Jr
Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


A ponta de pulverização de jato tipo cone vazio Série CA, fabricada em cerâmica, é atualmente uma das mais resistentes no mercado, produzindo gotas grossas aeradas, é normalmente recomendada para pulverizações de herbicidas, inseticidas e fungicidas, em condições meteorológicas extremamente adversas.




No vídeo abaixo, a ponta cone vazio CA 8004 (Vermelho) aplicando na pressão de 50 PSI (3,45 Bar - 345 Kpa), produzindo gotas com classificação de tamanhos grossas para muito grossas. 

Por exemplo, um pulverizador autopropelido com espaçamento entre bicos de 50 cm, equipado com as pontas CA 8004 operando em velocidades entre 18 a 20 km/h, estará aplicando volumes entre 80 a 100 litros/hectare. Esse mesmo pulverizador autopropelido nessas mesmas velocidades de aplicação, se equipado com pontas CA 8003 (Azul) poderá aplicar volumes entre 70 a 120 litros/hectare. Se equipado com as pontas CA 8002 (Amarelo) poderá aplicar volumes entre 50 a 80 litros/hectare.




Em baixas velocidades, entre 6 a 8 km/h, equipando um pulverizador tratorizado essa ponta CA 8004 (Vermelho) estará aplicando altos volumes (acima de 250 L/ha).

Recomendadas para pulverizações em condições de fortes rajadas de vento, altas temperaturas e baixa umidade do ar, as pontas Micron de jato tipo cone vazio da Série CA poderão ser utilizadas aplicando menores volumes em baixas velocidades, nas vazões 01 (Laranja) e 015 (Verde). 

Por exemplo, a ponta CA 8001 (Laranja) em velocidades operacionais de 6 a 7 km/h poderá aplicar volumes entre 70 a 100 litros/hectare. A ponta CA 80015 (Verde), nessas mesmas velocidades, poderá aplicar volumes entre 100 a 150 litros/hectare.  

Seguem informações fornecidas pela conceituada empresa Micron Pulsar, fabricante das pontas em cerâmica Série CA.

Série CA: BICOS DE CONE VAZIO COM INDUÇÃO DE AR.

Indicados para todos os tipos de defensivos, utilizam sistema venturi para produzir gotas aeradas de maior volume (com bolhas de ar em seu interior), minimizando a ação de deriva pelo vento.




No vídeo abaixo a abertura do jato de pulverização formado por gotas grossas aeradas, produzidas pela ponta Série CA 8004, aplicando na pressão de 50 PSI.





Matéria atualizada em 19/01/2019.


Copyright © 2005-2019 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

08 janeiro 2019

Qualidade sanitária de sementes de soja em função de aplicações a campo com fungicida e fertilizante foliar.


Qualidade sanitária de sementes de soja em função de aplicações a campo com fungicida e fertilizante foliar



https://maissoja.com.br/qualidade-sanitaria-de-sementes-de-soja-em-funcao-de-aplicacoes-a-campo-com-fungicida-e-fertilizante-foliar

O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade sanitária de sementes de soja em função da aplicação de fungicida e associações com fertilizante foliar à base de fosfitos, micronutrientes, aminoácidos e aditivos especiais.

Autores:   W. ZANINI 1; A. MATUCZAK 1; T. D. C. SIEGA 2; N. L. DALACOSTA 2; J. C. POSSENTI 3; S. M. MAZARO 3.

Resumo

O manejo de doenças, com o uso de fungicidas durante o ciclo de cultivo, propicia além da redução de doenças, incremento de produtividades e sementes maior qualidade. O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade sanitária de sementes de soja em função da aplicação de fungicida (Picoxistrobina (60 g.ha-1) + Ciproconazol (16 g.ha-1) e associações com fertilizante foliar à base de fosfitos, micronutrientes, aminoácidos e aditivos especiais (Ultrazeb Premium® 0.3 L.ha-1).

Foram realizadas três aplicações de forma isolada e associada, com início na fase fenológica R1 e com 15 e 30 dias após a primeira aplicação. As concentrações dos produtos seguiram as recomendações dos fabricantes para a cultura da soja. O experimento foi realizado em lavoura comercial, com a cultivar NA 5909 RG, no delineamento blocos ao acaso, com parcelas de 12m2, em 4 repetições.

Após a colheita, as sementes foram transportadas para o Laboratório de Sementes da UTFPR – Dois Vizinhos, e então separadas em lotes com 200 sementes, divididas em oito repetições com 25 sementes cada. As sementes foram distribuídas equidistantes em caixa Gerbox, sob duas folhas de papel filtro e umedecida com água destilada. Após foram armazenadas por sete dias em câmara de germinação do tipo BOD, com temperatura de 25ºC e fotoperíodo de 12 horas. Posteriormente, as sementes foram avaliadas com auxilio de estereomicroscópio (lupa), onde se identificou a incidência de fungos presentes, através das características estruturais e reprodutivas dos mesmos.

O uso do fungicida em associação com o fertilizante foliar reduziu a incidência de fungos nas sementes. Os principais gêneros observados foram Cercospora e Fusarium e com menor incidência Phomopsis, Aspergillus, Penicillium.

Palavras chaves: Fosfitos; Incidência de patógenos; Sanidade de sementes.

Informações dos autores:

1 Acadêmicos de Agronomia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos;
2 Pós-graduandos em agronomia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco;
3 Professor COAGR, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, Paraná.

Disponível em: Anais do 50º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Uberlândia – MG, Brasil.




Engº Agrº Manoel Ibrain Lobo Jr
Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


Copyright © 2005-2019 Manoel Ibrain Lobo Jr Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

Fungicidas e fertilizante foliar no controle de ferrugem asiática da soja (Phakopsora packyrhizi).


Fungicidas e fertilizante foliar no controle de ferrugem asiática da soja (Phakopsora packyrhizi).



https://maissoja.com.br/fungicidas-e-fertilizante-foliar-no-controle-de-ferrugem-asiatica-da-soja-phakopsora-packyrhizi

O objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial de produtos protetores.

Autores:  GHEDIN, A. L.1; CONSTANTINO, L. P.1; FRANCESCHI V.T.2; ZORZZI, C. I. 2; CAPPELLESSO, T.3; MAZARO, S.M.4

Resumo

A ferrugem da soja é a principal doença folhar da cultura, seu manejo preconiza a aplicação de fungicidas, no entanto, nos últimos anos vem ocorrendo a resistência do fungo Phakopsora packyrhizi aos principais grupos químicos. Com isso, fungicidas protetores e fertilizantes foliares estão sendo incorporados no manejo dessa doença.

O objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial de produtos protetores, sendo o oxicloreto de cobre (580g/ha-1) e o fertilizante foliar a base de fosfitos, micronutrientes, aminoácidos e aditivos especiais (Ultrazeb Premium – 0,3 l.ha-1), de forma isolada ou em associação, em comparação com o fungicida Azoxistrobina (75 g/ha-1) + Benzovindiflupyr (37,5 g/ha-1). O experimento foi realizado na safra 2016/2017, conduzido em casa de vegetação, em vasos de 10 litros, com a cultivar BRS284 até o final do ciclo da cultura.

Os tratamentos consideraram a utilização dos produtos aplicados isoladamente e em associações, no delineamento inteiramente casualizado, em 4 repetições, sendo a unidade experimental composta por 2 plantas de soja. Após 24 horas da primeira aplicação química, no estádio fenológico R1 realizou-se a inoculação com esporos de P. pachyrhizi. As avaliações foram realizadas a cada 10 dias considerando a incidência e severidade da ferrugem.

Os resultados demonstraram que os tratamentos com os produtos protetores apresentaram eficiência comparável ao tratamento com o fungicida Azoxistrobina + Benzovindiflupyr.

Palavras chaves: Ferrugem; Soja; Fungicidas; Fertilizantes foliares.

Informações dos autores:

1 Acadêmicos de Agronomia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, Brasil;
2 Pós-graduandos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, Brasil;
3 Academico do curso Técnico em Agropecuária do Centro estadual de Educação Profissional Sudoeste, F. Beltrão, Brasil;
4 Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Dois Vizinhos, Professor COAGR,

Disponível em: Anais do 50º Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Uberlândia – MG, Brasil.




Engº Agrº Manoel Ibrain Lobo Jr
Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


Copyright © 2005-2019 Manoel Ibrain Lobo Jr Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.