20 setembro 2014

Treinamento em Tecnologia de Aplicação - Usina Goiasa (Goiatuba GO)


Treinamento em Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos

Usina Goiasa (Goiatuba - Goiás)



Engº Agrº Manoel Ibrain Lobo Junior .'.
Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA


Treinamento em Tecnologia de Aplicação Terrestre ministrado para a competente equipe técnica de profissionais da conceituada empresa Usina Goiasa, sediada no município de Goiatuba (Goiás).


Foram realizadas apresentações teóricas sobre tecnologia de aplicação de defensivos para as áreas de cana-de-açúcar e realizadas demonstrações práticas em campo utilizando diferentes modelos e marcas de pontas de pulverização equipando os pulverizadores Albatroz (montado) e Uniport 2500 (autopropelido).





Briefing com a equipe técnica da Usina Goiasa em campo.





Base operacional para os trabalhos de tecnologia de aplicação em campo.



Cálculos objetivando a regulagem e calibração dos pulverizadores ALBATROZ.





Avaliação das pontas que equipam o pulverizador ALBATROZ.





Equipagem do pulverizador ALBATROZ com novas pontas de pulverização objetivando a redução do volume nas aplicações de herbicidas em pré e pós emergentes.





Foram apresentadas durante os treinamentos informações sobre "Boas Práticas Agrícolas nas Pulverizações" e "Segurança Operacional nas Operações de Aplicação de Agroquímicos". A Usina Goiasa preza pela total segurança de toda a sua equipe operacional e do meio ambiente.




Os testes com novas tecnologias em pontas de pulverização objetivando a redução dos volumes nas aplicações de agroquímicos (70 a 100 L/ha) foram realizados em situações extremamente adversas de baixa umidade relativa do ar (12 a 20 %), altas temperaturas (acima de 35 graus) e rajadas de vento entre 10 a 15 km/h, objetivando uma maior "janela de aplicação", maior rendimento diário dos pulverizadores com a máxima qualidade na deposição (densidade) de gotas e o mínimo de perdas por evaporação e deriva.




Apresentação dos excelentes resultados dos testes de redução de volume nas simulações de aplicação de herbicidas em baixo volume para a equipe técnica da Usina Goiasa, analisando as eficiências de deposições e densidades de gotas produzidas por diversas marcas e modelos de pontas de pulverização (em cerâmica), em condições meteorológicas adversas.




Coletores de gotas e papéis sensíveis à água utilizados nos testes de redução de volume de aplicação de herbicidas. As deposições de gotas nos papéis sensíveis são posteriormente analisadas pelo software e-Sprinkle, objetivado a confecção dos relatórios e as interpretações dos resultados dos testes comparativos.



O Engenheiro Agrônomo Ighor Cruvinel realizando os cálculos para as calibrações do pulverizador autopropelido Uniport, em parceria com os operadores dos pulverizadores, objetivando a maior precisão nos trabalhos de redução de volume das aplicações de herbicidas em altas velocidades operacionais.





O veloz pulverizador autopropelido Uniport 2500 em ação, durante os testes de redução de volume de calda nas simulações de aplicação de herbicidas e adjuvantes organo siliconados protetores de gotas.




Agradecimentos especiais aos competentes profissionais Sr. Igor e Sr. Maurício, da conceituada Usina Goiasa, pela pronta colaboração e toda a atenção durante os trabalhos em campo.





É sempre uma grande satisfação desenvolver trabalhos em campo de redução de volume com uma empresa que preza pela qualidade e total segurança nas operações de controle químico. Na foto acima é possível visualizar os "sacos plásticos" utilizados como proteção dos bicos de pulverização, objetivando a maior segurança do meio ambiente (e dos bicos) durante os translados entre a sede da Usina Goiasa e as áreas de aplicação dos agroquímicos.

A redução do volume de calda (SEMPRE matendo as doses dos agroquímicos indicadas pelas indústrias fabricantes) objetiva o mais racional e melhor uso da água nos trabalhos de pulverização e a preservação do meio ambiente. A economia da água nas operações de aplicação possibilita maiores rendimentos operacionais com menores custos para as usinas de cana-de-açúcar.






Agradecimentos à toda a competente equipe técnica da conceituada Usina Goiasa pela total atenção e colaboração durante a realização dos trabalhos em campo objetivando a redução do volume de aplicação com os pulverizadores tracionados Albatroz e pulverizadores autopropelidos Uniport 2500.





No vídeo acima, o pulverizador ALBATROZ realizando testes de aplicação de agroquímicos (simulações) em baixos volumes de calda, objetivando maiores rendimentos operacionais e menores custos nas operações de controle químico.




No vídeo acima, o pulverizador autopropelido Uniport 2500 realiza testes de aplicações em baixo volume de calda (70 a 100 L/ha) em condições meteorológicas extremamente adversas.


Informações Profissionais:

Manoel Ibrain Lobo Jr é Engenheiro Agrônomo, Auditor GlobalGAP IFA "Boas Práticas Agrícolas", consultor em tecnologia de aplicação de agroquímicos, ministrando cursos, treinamentos, palestras e realizando avaliações de pulverizadores autopropelidos, pulverizadores tratorizados, turbo-atomizadores e bicos de pulverização para revendas agropecuárias, cooperativas agrícolas, usinas de cana-de-açúcar e outras empresas da área agrícola.

Contato:


www.pulverizador.com.br
lobo@pulverizador.com.br
Skype: manoel.lobo

PULVERIZADOR - COPYRIGHT 2014

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites
http://www.pulverizador.com.br/ , www.scribd.com/pulverizador e http://www.pulverizador.blogspot.com/ ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.