24 setembro 2016

Recomendação de pontas e tamanhos de gotas para aplicações de agroquímicos na fase vegetativa das culturas.


Recomendações de pontas (bicos) de pulverização e tamanhos de gotas para pulverizações em baixos volumes, em condições meteorológicas extremamente adversas, objetivando aplicações de herbicidas, inseticidas e fungicidas.


Manoel Ibrain Lobo Jr ஃ
Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA

lobo@pulverizador.com.br


Nos últimos anos a maior parte dos trabalhos de tecnologia de aplicação que venho desenvolvendo em campo, durante consultorias prestadas para grandes grupos agrícolas, objetivaram o desenvolvimento de novas técnicas e tecnologias para aplicações de agroquímicos em baixos volumes, em altas velocidades operacionais, nas mais adversas condições meteorológicas, com altas temperaturas, baixas umidades relativas do ar e fortes rajadas de vento.

Dentre todas as novas tecnologias desenvolvidas nessa área objetivando o aumento da qualidade nas pulverizações, através da redução das perdas por evaporação e deriva, merecem destaque as novas pontas de pulverização com sistema de indução de ar de segunda geração (projeto venturi com jato plano simples ou duplo) e o uso de adjuvantes de calda condicionadores hídricos, super protetores de gotas, possibilitando um significativo controle da deriva e mínimos riscos de perdas nas pulverizações.


Pontas Micron Pulsar XP AIR 11001 (Laranja), 110015 (Verde) e 11002 (Amarelo) com Jato Plano Simples (Indução de Ar - Sistema Venturi).



Pontas Micron Pulsar DBX AIR 110015 (Verde) e 11002 (Amarelo) com Jato Plano Duplo (Indução de Ar - Sistema Venturi).



Até o “fechamento” das culturas adensadas não existe a necessidade de altos volumes (> 100 L/ha) e da produção de gotas finas (< 200 micra), pois as plantas estão ainda na fase inicial do ciclo vegetativo, com pouca massa foliar e com as entre linhas totalmente abertas, possibilitando boa penetração e cobertura, mesmo aplicando em médios volumes (entre 50 a 70 litros/ha) e em baixos volumes (30 a 50 litros/ha).

Conforme a tabela de orientação abaixo, no caso de pulverizadores tratorizados (montados/arrasto), nas velocidades operacionais entre 5 a 7 km/h, a recomendação para aplicações em médios e baixos volumes (entre 50 a 70 L/ha) seria a equipagem com as pontas Micron XP AIR 11001 (Laranja) e em maiores velocidades as pontas Micron XP AIR 110015 (Verde).




Pulverizadores autopropelidos, em função das altas velocidades operacionais, entre 20, 25 a 30 km/h, poderão ser equipados com as pontas Micron XP AIR 11001 para aplicações em baixos volumes (20 a 30 litros/ha) e pontas XP AIR 110015 para médios volumes (50 litros/ha). Em situações de aplicação em médios volumes (50 litros/ha) em condições extremamente adversas, particularmente recomendo as pontas Micron XP AIR 11002 (Amarelo). 

As pontas de pulverização com indução de ar Micron XP AIR também são classificadas como “uso ampliado”, em função das várias possibilidades de volumes aplicados por uma mesma vazão, por exemplo, uma ponta XP AIR 11002 poderá aplicar na velocidade constante de 14 km/h, com densidades satisfatórias (DG: 40-50 g/cm²), os volumes de 50, 70 e 100 litros/ha, em baixas, médias e altas pressões de trabalho (30, 50 e 100 PSI).





Objetivando a correta formatação dos pulverizadores autopropelidos para os trabalhos de controle químico na fase vegetativa das culturas em condições meteorológicas extremamente adversas, seguem exemplos de formatação de pulverizadores autopropelidos e tratorizados com novas pontas de pulverização Micron XP AIR projetadas com sistemas de indução de ar (Venturi) para os trabalhos de aplicações iniciais de herbicidas, inseticidas e fungicidas.







As pontas Micron DBX AIR com indução de ar de jato plano duplo possibilitam uma melhor distribuição de gotas sobre os alvos e maior penetração em culturas com folhagens adensadas, em função dos menores diâmetros das gotas aeradas produzidas e também pelo projeto de abertura de ângulo entre os jatos de pulverização (50 graus), liberando gotas em altas velocidades, com excelente redução de perdas por deriva e evaporação.







Desde que essas novas pontas de pulverização com indução de ar de jato plano simples e duplo sejam selecionadas corretamente para cada situação específica de controle, levando-se em consideração os necessários volumes de aplicação, a arquitetura foliar das culturas, o tipo e localização dos alvos biológicos, as condições meteorológicas dos locais da aplicação, dentre outros fatores, poderão ser alcançados excelentes resultados nas aplicações com qualquer tipo de equipamento, desde pulverizadores tratorizados até autopropelidos.


Copyright © 2005-2016 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.