29 janeiro 2018

Avaliação dos Efeitos de Redução da Deriva do Adjuvante de Calda Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmulas 2014, 2015, 2016 e 2017.


Avaliação dos Efeitos de Redução da Deriva do Adjuvante de Calda Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmulas 2014, 2015, 2016 e 2017.


Manoel Ibrain Lobo Jr ஃ
Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


Monitoramento da Qualidade dos Compostos, Estabilidade Química da Formulação e Efeitos Visuais.

O objetivo das avaliações periódicas dos efeitos de redução da deriva dos adjuvantes Compo Expert Basfoliar H-Plus e F-Plus é verificar a capacidade das formulações fabricadas em 2014, 2015, 2016 e 2017 continuarem apresentando esse principal atributo desejado e valorizado pelo mercado agrícola do Brasil.




1º Teste: Avaliação do Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmula 2014.

A formulação avaliada do adjuvante Compo Expert Basfoliar F-Plus, produzida no segundo semestre de 2014, após intensa agitação, foi adicionada à calda da pulverização na bancada de testes, na dose de 50 ml para 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto F-Plus foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 01:04.




2º Teste: Avaliação do Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmula 2015.

A formulação avaliada do adjuvante Compo Expert Basfoliar F-Plus, produzida no Mês de Setembro de 2015, após intensa agitação, foi adicionada à calda da pulverização na bancada de testes, na dose de 50 ml para 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto F-Plus foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 01:01.





3º Teste: Avaliação do Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmula 2016.

A formulação avaliada do adjuvante Compo Expert Basfoliar F-Plus, produzida no Mês de Outubro de 2016, após intensa agitação, foi adicionada à calda da pulverização na bancada de testes, na dose de 50 ml para 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto F-Plus foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 58 segundos.





4º Teste: Avaliação do Compo Expert Basfoliar F-PLUS Fórmula 2017.

A formulação avaliada do adjuvante Compo Expert Basfoliar F-Plus, produzida no segundo semestre de 2017, após intensa agitação, foi adicionada à calda da pulverização na bancada de testes, na dose de 50 ml para 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto F-Plus foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 01:03.





Colaboro como consultor da conceituada empresa Compo Expert no desenvolvimento dos adjuvantes Basfoliar H-Plus e F-Plus desde 2013. Avalio e acompanho o desempenho dessas formulações durante treinamentos e demonstrações práticas em campo. Posso afirmar que essas formulações dos adjuvantes H-Plus e F-Plus sempre estiveram posicionadas entre as 10 (Dez) melhores do mercado agrícola do Brasil.

Entre o início de 2008 até o final de 2017 avaliei mais de 500 formulações de adjuvantes, recomendadas para aplicações de herbicidas, inseticidas e fungicidas, desenvolvidas por diversas empresas do Brasil e do exterior. A maior parte desses adjuvantes apresentaram alterações físicas e químicas em suas formulações em um período menor que 12 meses.

É muito importante a realização periódica das avaliações das formulações dos adjuvantes, objetivando o constante monitoramento da qualidade dos atributos, em especial o efeito de redução da deriva, dessa forma garantindo o resguardo da segurança e da qualidade das aplicações dos agroquímicos.


Copyright © 2005-2018 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

28 janeiro 2018

Bico de Pulverização Micron Pulsar Série HB de Jato Tipo Cone Vazio (8001 Azul a 8006 Amarelo).


Ponta de Pulverização Micron Pulsar Série HB

Bico Série HB de Jato Tipo Cone Vazio nas Vazões de 8001 (Azul) a 8006 (Amarelo).


Manoel Ibrain Lobo Jr

Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


A ponta de pulverização de jato tipo cone vazio Micron Série HB, fabricada em cerâmica, é atualmente uma das mais utilizadas pelos produtores em todo o Brasil após a fase de fechamento das entre-linhas das culturas adensadas, em função da excelente capacidade de deposição, penetração e distribuição das gotas finas em turbulência nas folhas localizadas no terço inferior das plantas.


Produzindo gotas finas e muito finas, é normalmente recomendada para pulverizações de inseticidas e fungicidas, em condições meteorológicas favoráveis e muito utilizadas em aplicações noturnas (alta umidade no ar, baixas temperaturas e sem rajadas de vento). 

Nas extensivas áreas de soja, algodão e milho no cerrado, essas pontas de jato tipo cone vazio também são muito utilizadas para pulverizações de herbicidas, porém são sempre aplicações muito técnicas e assistidas, a maior parte utilizando baixos volumes de calda, menos que 50 litros por hectare, sempre respeitando as melhores horas do dia, com velocidades de vento entre 3-5 km/h, em condições meteorológicas extremamente favoráveis. 




No vídeo abaixo, a ponta HB 8002 (Preto) de jato tipo cone vazio aplicando na pressão de 40 PSI (2,8 Bar - 276 Kpa), produzindo gotas com classificação de tamanhos finas para muito finas.

Um pulverizador autopropelido com espaçamento entre bicos de 50 cm, equipado com as pontas Micron HB 8002 operando nas velocidades de 18 a 20 km/h, estará aplicando volumes entre 30 a 50 litros/hectare. Em baixas velocidades, entre 6 a 8 km/h, essa ponta HB 8002 estará aplicando médios e altos volumes (80 a 120 L/ha).




Recomendadas para pulverizações em condições meteorológicas favoráveis, as pontas Micron de jato tipo cone vazio da Série HB poderão ser utilizadas em baixos volumes e em baixas velocidades, nas vazões 01 (Azul) e 015 (Marrom), objetivando a equipagem de pulverizadores montados e de arrasto. 

Por exemplo, a ponta HB 8001 (Azul) em velocidades operacionais de 6 a 7 km/h poderá aplicar volumes entre 30 a 50 litros/hectare. A ponta HB 80015 (Marrom), nessas mesmas velocidades, poderá aplicar volumes entre 50 a 80 litros/hectare. 

Seguem informações fornecidas pela conceituada empresa Micron Pulsar, fabricante das pontas em cerâmica Série HB.

MICRON PULSAR SÉRIE HB CONE VAZIO

Características: Bico tipo cone vazio – abertura de 80 Graus; Pressão recomendada de trabalho: 2 a 10,5 BAR / 30 a 150 PSI; Tamanho compacto, menos quebras por acidente; Material: Cerâmico; Encaixe capa 12 mm.




No vídeo abaixo a abertura do jato de pulverização formado por gotas muito finas, produzidas pela ponta Série HB 8002, aplicando na pressão de 40 PSI.




Bicos de pulverização de jato tipo cone vazio aplicando em base aquosa, pulverizando somente água como veículo, normalmente estarão produzindo jatos com ângulos de abertura de 60 a 80 Graus. Porém, com a adição de um bom adjuvante redutor de deriva, condicionador hídrico classe 04 (quatro) ou 05 (cinco), esse ângulo do jato de pulverização poderá chegar a uma abertura de 90 a 110 Graus, conforme exemplos abaixo.

https://pulverizador.blogspot.com.br/2017/09/tecnologia-de-aplicacao-de-adjuvantes_24.html

https://pulverizador.blogspot.com.br/2017/06/avaliacao-do-efeito-de-reducao-da_10.html

https://pulverizador.blogspot.com.br/2016/07/avaliacao-dos-efeitos-de-reducao-da_3.html

https://pulverizador.blogspot.com.br/2017/02/avaliacao-do-desempenho-do-adjuvante_26.html

https://pulverizador.blogspot.com.br/2015/11/treinamento-spraytec-em-tecnologia-de.html



Matéria atualizada em 28/01/2018.


Copyright © 2005-2018 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

27 janeiro 2018

Bico de Pulverização Micron Pulsar Série CA Cone Vazio com Indução de Ar (8001 Laranja a 8005 Marrom).


Ponta de Pulverização Micron Pulsar Série CA

Bico Série CA de Jato Tipo Cone Vazio com Indução de Ar (Sistema Venturi) nas Vazões de 8001 (Laranja) a 8005 (Marrom).


Manoel Ibrain Lobo Jr
Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


A ponta de pulverização de jato tipo cone vazio Série CA, fabricada em cerâmica, é atualmente uma das mais resistentes no mercado, produzindo gotas grossas aeradas, é normalmente recomendada para pulverizações de herbicidas, inseticidas e fungicidas, em condições meteorológicas extremamente adversas.




No vídeo abaixo, a ponta cone vazio CA 8004 (Vermelho) aplicando na pressão de 50 PSI (3,45 Bar - 345 Kpa), produzindo gotas com classificação de tamanhos grossas para muito grossas. 

Por exemplo, um pulverizador autopropelido com espaçamento entre bicos de 50 cm, equipado com as pontas CA 8004 operando em velocidades entre 18 a 20 km/h, estará aplicando volumes entre 80 a 100 litros/hectare. Esse mesmo pulverizador autopropelido nessas mesmas velocidades de aplicação, se equipado com pontas CA 8003 (Azul) poderá aplicar volumes entre 70 a 120 litros/hectare. Se equipado com as pontas CA 8002 (Amarelo) poderá aplicar volumes entre 50 a 80 litros/hectare.




Em baixas velocidades, entre 6 a 8 km/h, equipando um pulverizador tratorizado essa ponta CA 8004 (Vermelho) estará aplicando altos volumes (acima de 250 L/ha).

Recomendadas para pulverizações em condições de fortes rajadas de vento, altas temperaturas e baixa umidade do ar, as pontas Micron de jato tipo cone vazio da Série CA poderão ser utilizadas aplicando menores volumes em baixas velocidades, nas vazões 01 (Laranja) e 015 (Verde). 

Por exemplo, a ponta CA 8001 (Laranja) em velocidades operacionais de 6 a 7 km/h poderá aplicar volumes entre 70 a 100 litros/hectare. A ponta CA 80015 (Verde), nessas mesmas velocidades, poderá aplicar volumes entre 100 a 150 litros/hectare.  

Seguem informações fornecidas pela conceituada empresa Micron Pulsar, fabricante das pontas em cerâmica Série CA.

Série CA: BICOS DE CONE VAZIO COM INDUÇÃO DE AR.

Indicados para todos os tipos de defensivos, utilizam sistema venturi para produzir gotas aeradas de maior volume (com bolhas de ar em seu interior), minimizando a ação de deriva pelo vento.




No vídeo abaixo a abertura do jato de pulverização formado por gotas grossas aeradas, produzidas pela ponta Série CA 8004, aplicando na pressão de 50 PSI.





Matéria atualizada em 27/01/2018.


Copyright © 2005-2018 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.

25 janeiro 2018

Avaliação do Desempenho do Adjuvante Fulltec Fórmula 2014 no Controle da Deriva das Pulverizações.


Avaliação do Desempenho do Adjuvante Spraytec Fulltec Fórmula 2014 no Controle da Deriva das Pulverizações.


Manoel Ibrain Lobo Jr
Engº Agrº, Consultor em Tecnologia de Aplicação
Auditor GlobalGAP IFA
lobo@pulverizador.com.br


Tempo de Vida dos Adjuvantes de Calda: Estabilidade Química e Efeitos Visuais.

O objetivo dessas avaliações dos efeitos de redução da deriva com formulações específicas de adjuvantes fabricados há mais de 02 (dois) anos é verificar, depois de um bom tempo armazenadas em prateleira, a capacidade de continuarem apresentando os efeitos visuais desejáveis pelo mercado agrícola: redução da deriva, efeito espessante de calda, homogeneizador dos tamanhos das gotas, além dos efeitos secundários de solubilidade em água, espalhamento e aderência das gotas, controle da espuma, dentre outros.




1º Teste: A formulação avaliada do adjuvante Spraytec Fulltec, produzida no primeiro trimestre de 2014, após intensa agitação, foi adicionada à calda da pulverização na bancada de testes, na dose de 50 ml para 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto Fulltec foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 01:05.




Através da análise visual da foto abaixo, durante o teste com a fórmula Fulltec 2014 na dose de 50 ml/100 litros de água, é possível constatar que a pulverização em base aquosa (somente água como veículo), produz gotas finas e muito finas em suspensão (Ø 80-120 µm) muito suscetíveis às perdas por deriva e evaporação e um jato de pulverização de cone vazio com ângulo muito fechado (60-70 Graus), sem definição no perfil.




Na foto abaixo, o adjuvante Fulltec fórmula 2014, na dose de 50 ml/100 litros de água, apresentou um excelente efeito na redução da deriva nas pulverizações e uma maior homogeneização dos tamanhos de gotas, possibilitando um maior e mais definido ângulo de abertura do jato de pulverização (acima de 90 Graus).




2º Teste: Avaliação do Adjuvante Spraytec Fulltec Fórmula 2014 na dose de 25 ml para o volume de aplicação de 100 litros de água. Após 7 a 10 segundos do início da filmagem, vídeo abaixo, o produto Fulltec foi adicionado no sistema de pulverização. É possível visualizar o início do condicionamento completo da calda, possibilitando o excelente controle da deriva, após o tempo decorrido de 01:09.




Através da análise visual da foto abaixo, durante o teste com a fórmula Fulltec 2014 na dose de 25 ml/100 litros de água, é possível constatar que a pulverização em base aquosa (somente água como veículo), produz gotas finas e muito finas em suspensão (Ø 80-120 µm) muito suscetíveis às perdas por deriva e evaporação e um jato de pulverização de cone vazio com ângulo muito fechado (60-70 Graus), sem definição no perfil.




Na foto abaixo, o adjuvante Fulltec fórmula 2014, na dose de 25 ml/100 litros de água (metade da dose recomendada pelo fabricante), apresentou um bom efeito na redução da deriva nas pulverizações e uma maior homogeneização dos tamanhos de gotas, possibilitando um maior e mais definido ângulo de abertura do jato de pulverização (acima de 90 Graus).




O objetivo da avaliação dos efeitos de redução da deriva com a formulação 2014 do produto Spraytec Fulltec é verificar, depois de mais de 03 (três) anos da data de sua fabricação, a capacidade do produto de continuar apresentando esse principal atributo desejável pelo mercado agrícola.

Outros principais efeitos serão também avaliados, como o aumento da viscosidade de calda, a homogeneização dos tamanhos das gotas, além dos efeitos secundários de solubilidade em água, espalhamento e aderência das gotas, controle da espuma, dentre outros.

Fica evidente que os excelentes resultados obtidos nos efeitos dessa fórmula 2014 do Fulltec são decorrentes da utilização de matérias-primas de extrema qualidade nas formulações.

Atualmente, a maior parte das formulações de adjuvantes comercializadas no Brasil, não conseguem mais que dois anos de tempo de vida útil de suas fórmulas. É muito comum, após um bom tempo de prateleira, os compostos separarem, decantarem ou ficarem em suspensão dentro dos recipientes/embalagens, sem condições de novamente se misturarem.

É muito importante a realização periódica das avaliações das formulações dos adjuvantes, objetivando o constante monitoramento da qualidade dos atributosem especial o efeito de redução da deriva, dessa forma garantindo o resguardo da segurança e da qualidade das aplicações dos agroquímicos.


Copyright © 2005-2018 Manoel Ibrain Lobo Jr. Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais sobre as marcas, obras ou criações de qualquer natureza disponibilizadas neste site, pertencem ao Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Jr, idealizador dos sites www.pulverizador.com.br, www.scribd.com/pulverizador e www.pulverizador.blogspot.com ou a terceiros que autorizaram o uso de sua propriedade intelectual. Sendo assim, é terminantemente vedada a distribuição, representação, publicação, uso comercial e/ou utilização de tais materiais, no todo ou em parte, sem a prévia e expressa autorização do Engenheiro Agrônomo Manoel Ibrain Lobo Junior. A violação destes direitos é crime, e seu infrator está sujeito às penalidades legais previstas nas Leis 9.610/98 e 9.279/96 e no art. 184 do Código Penal Brasileiro, bem como ao pagamento de indenização pelos prejuízos causados.